ANIVERSÁRIO DE 40 ANOS DA REFUNDAÇÃO DO DCE-LIVRE DA USP “ALEXANDRE VANNUCCHI LEME”

23 de janeiro de 2016, 23:56

Compartilhe:

ANIVERSÁRIO DE 40 ANOS DA REFUNDAÇÃO DO DCE-LIVRE DA USP “ALEXANDRE VANNUCCHI LEME”

“O DCE é uma entidade espúria”, registrou a Aesi-USP em 1976¹. Após o silêncio imposto pelo AI-5 em 1968, a entidade passou anos como uma organização clandestina. Em maio de 1976, reagrupando-se, estudantes da USP refundaram o DCE, dando-lhe o nome de “Alexandre Vannucchi Leme” – uma homenagem ao estudante de Geologia assassinado pela ditadura militar. E recebeu ainda o caráter livre, simbolizando a autonomia dos estudantes e não vinculação às estruturas do Estado e da reitoria.

Completam-se, neste 2016, 40 anos da refundação do DCE – uma data de valor imensurável na história do movimento estudantil da USP. A gestão Manifesta sente-se responsável por manter viva a memória da entidade, do movimento estudantil brasileiro e da luta contra a ditadura. Os 40 anos da refundação do DCE mais importante do país relembram não somente a grandeza daqueles que combateram o período marcado pela repressão aos direitos democráticos, pela truculência, pelo autoritarismo e pelo fim da liberdade de expressão, mas também a coragem e responsabilidade da organização dos estudantes na luta pela democracia, ontem e hoje. Devemos sempre relembrar esta página da história com assiduidade para que não se repita nunca mais.
maio68_crise1969_min-edu

Estes 40 anos marcam a luta de diferentes gerações por uma sociedade democrática, por uma educação pública de qualidade, emancipadora e acessível à todos. Relembrar o passado nos permite ser um ator político pleno no presente e nos entusiasma a sonhar e construir um futuro melhor.

Em 2015, o movimento estudantil deve seguir na luta por uma educação pública de qualidade, por uma universidade mais democrática em todos os âmbitos. Queremos uma USP aberta e ocupada por todas e todos!

______________________________________________________________________________________________________
¹ Revista Adusp, outubro de 2004 .

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *