Nota de apoio as mobilizações dos trabalhadores brasileiros

23 de maio de 2014, 16:18

Compartilhe:

Junho de 2013 abriu portas e trouxe novos ares para o Brasil, a mobilização contra o aumento das passagens foi determinante para recolocar as mobilizações populares em pauta. 2014 não é diferente, a juventude segue ocupando as ruas com suas reivindicações, mas um novo time entra, fortemente, em campo: a classe trabalhadora.

Com muita disposição de luta e conquistas diversos setores da classe trabalhadora vêm se mobilizando, realizando greves e paralizações. Tais mobilizações se combinam com o atual momento político, marcado por dois elementos centrais: a realização Copa do Mundo, que escancara as contradições da sociedade brasileira, assim como as prioridades levadas a frente pelos governos e a ofensiva do movimento de massas e o desgaste dos governos.

Podemos afirmar que 2014 e principalmente esse mês de maio é o “Junho das categorias”, e exemplos não faltam: desde os rodoviários de Porto Alegre e os garis do RJ, que foram capazes de disputar o conjunto da população ao seu favor, passando pelos por setores extremamente importantes da economia brasileira com é o caso dos operários da COMPERJ, e de PETROBRAS, os professores de São Paulo e do Rio, rodoviários de mais de uma dezena de cidades, técnicos de universidades federais, trabalhadores da indústria bélica(IMBEL), e muitos outros.

Greve de motoristas e cobradores em São Paulo

Greve de motoristas e cobradores em São Paulo

Em São Paulo as ultimas semanas foram marcadas por mobilizações, saudamos a luta dos motoristas e cobradores, que pararam a cidade e também a mobilização dos trabalhadores metroviários, que em conjunto mostram a importância de termos um transporte público e de qualidade. Na luta em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade, os professores municipais entram em greve e puxam atos com dezenas de milhares de pessoas, os professores da rede estadual aprovam indicativo de greve pra próxima sexta-feira (30/05) e durante essa semana, as três estaduais paulistas entram em cena com greve geral de funcionários, professores e estudantes em defesa da universidade pública! . Também saudamos os trabalhadores organizados no movimento popular e na luta por moradia digna em São Paulo, e principalmente o MTST, que no dia de ontem(22/05) parou a Ponte Estaiada, o coração pulsante do capital na metrópole, mostrando que para os trabalhadores o legado da Copa é o aumento no preço do aluguel e a especulação financeira.

Ato do MTST 22M "Copa sem povo, to na rua de novo!"

Ato do MTST 22M “Copa sem povo, to na rua de novo!”

Na atual situação política brasileira com grande possibilidade da Copa do Mundo ser atravessada por mobilizações de diversos setores da população, como já vem acontecendo, o papel do movimento estudantil, por meio de suas entidades e organizações é se colocar ao lado dos trabalhadores, estabelecendo uma relação orgânica, através do apoio ao método de pressão política e da ação conjunta, entendendo isso como determinante para a transformação radical da sociedade e a conquista de vitórias econômicas e políticas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *