Vote por diretas pra reitor!

10 de dezembro de 2013, 13:31

Compartilhe:

No próximo dia 19,  acontecem as eleições para a escolha do próximo reitor da USP, precedido por uma consulta informativa para toda comunidade no dia. Estas eleições estão sendo feitas em um momento de muito questionamento sobre a estrutura de poder e o modelo de escolha para reitor na comunidade, sendo construída de maneira unilateral e desrespeitando as visões das entidades representativas, como DCE, Sintusp e ADUSP, que pedem um processo mais democrático de eleição.

Grande parte da comunidade universitária participou de protestos que pediam as eleições diretas para reitor, acabando assim com o modelo anti-democrático de eleições onde apenas 2% da USP participam e que, após esta votação, cabe ao governador do Estado escolher o reitor que melhor representa seus interesses. Para nós, este modelo de eleições não permite que a vontade das pessoas que compõe a USP no seu dia-a-dia seja seguida, se tornando assim um modelo autoritário.

Neste pleito, teremos os seguintes candidatos para reitor: Hélio Nogueira da Cruz, Wanderley Messias, Marco Antonio Zago e José Roberto Cardoso, e a plataforma eleitoral apresentada por todos não se comprometem com as atuais bandeiras do movimento estudantil, não prevendo a construção de uma universidade democrática através das eleições diretas e da reforma estatutária, além de não prever melhorias nos programas de permanência estudantil e uma democratização no acesso a universidade, através de programas de cotas raciais e sociais.

Devido à forma atropelada que esta eleição está sendo construída, sem ouvir os estudantes, professores e funcionários, além dos candidatos não representarem o acúmulo construído pelos estudantes nas suas últimas manifestações, o Conselho de Centros Acadêmicos da USP fará uma campanha pelo voto nulo neste processo. Pedimos para que os estudantes votem nulo na consulta informativa e que os nossos Representantes Discentes também anulem seu voto no pleito oficial. O nosso voto nulo é nossa forma de protesto e de construção de uma nova universidade, democrática e aberta a todos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *