Rodas tem que ceder!

25 de outubro de 2013, 15:34

Compartilhe:

Conforme já exposto em texto anterior (http://www.dceusp.org.br/2013/10/informe-da-2a-reuniao-de-negociacao-ampliar-a-mobilizacao-para-arrancar-conquistas/), a reunião de negociação entre o movimento estudantil e a reitoria foi marcada por um forte tensionamento. Os representantes do movimento apresentaram todas as reivindicações aprovadas em assembleia divididas em três grandes blocos: democracia, permanência e punição/repressão.

Sabemos que os argumentos dos estudantes se apresentaram com a legitimidade de uma greve que mobiliza milhares de pessoas das mais diversas unidades e campi. Nossos atos e intervenções, como o trancaço dos dois maiores portões da USP, por exemplo, foram fundamentais para forçar um recuo à reitoria, obrigando-a a negociar nossas pautas.

No entanto, a postura dos representantes da reitoria continua sendo de indisposição e arrogância. Tentando claramente confundir e desmobilizar o movimento, a burocracia universitária enviou um ofício ao DCE na mesma data e horário em que realizávamos nossa Assembleia Geral de Estudantes (24/10). No documento, respostas genéricas para nossas reivindicações ou negativas imediatas de boa parte delas. A resolução do conflito político na USP, segundo os termos expostos no ofício, seria condicionada a estudos de viabilidade técnica, esquivando o reitor da responsabilidade que lhe cabe nesse momento.

Consideramos que o conteúdo da resposta da reitoria reflete, mais uma vez, a total incapacidade e indisposição da administração da universidade em resolver os impasses políticos dentro da USP. Como quem tenta apagar um incêndio com gasolina, a reitoria, ao invés de avançar na negociação, chega a retroceder em algumas questões. É emblemático e inaceitável que, no ponto em que o movimento estudantil exige o retorno das linhas de ônibus extintas na cidade universitária, a representação da reitoria dê como resposta que tal medida implicaria na revisão da gratuidade do BUSP. Um escândalo!

Rodas tem que atender imediatamente às reivindicações dos estudantes. Repudiamos veementemente a forma e o conteúdo do documento enviado ontem pela reitoria.

Por isso, o DCE protocolou na tarde dessa sexta-feira (25) um ofício em que nega qualquer tipo de acordo que não leve claramente em consideração o atendimento das reivindicações dos estudantes.

Na próxima terça-feira (29) será realizada mais uma reunião de negociação. Continuaremos firmes na defesa de nossas pautas, conscientes de que nossa mobilização vai arrancar vitórias da burocracia universitária.

Desde já, adiantamos a proposta de que os estudantes realizem novo trancaço nos portões da USP na terça-feira pela manhã, para que a reitoria sinta a força e indignação de nosso movimento.

Se Rodas não ceder, a USP vai ferver!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *