Informe da 1ª reunião de negociação

21 de outubro de 2013, 16:51

Compartilhe:

Hoje, aconteceu a primeira reunião de negociação entre a reitoria da USP e os estudantes. Após forte pressão, a administração da universidade foi obrigada a instituir uma comissão para imediata abertura de diálogo. A comissão da reitoria é composta pelos professores Alberto Amadio, Welington Delitti, Waldyr Antonio Jorge, Margarida Kunsch, Sérgio Adorno e José Carlos Maldonado. Pelos estudantes, estiveram presentes, além dos 3 representantes legais do DCE, 1 membro da APG, 1 estudante eliminada da USP, 1 representante dos cursos de humanas, 1 de exatas e 1 de biológicas – todos eleitos no último Comando de Greve.

Este é um primeiro informativo. O processo de negociação está aberto e uma nova reunião está agendada para esta quarta-feira, 23/10, às 16h. Nem todas as pautas chegaram a ser debatidas. Estiveram em discussão, principalmente, os 3 pontos condicionais apresentados pelos estudantes, além de um início de discussão sobre os eixos políticos da greve. A respeito disso, segue o que foi discutido:

1) O 1º condicionamente apresentado foi a não punição criminal ou administrativa aos estudantes, além da retirada do pedido de reintegração de posse do prédio da reitoria pela universidade. O DCE apresentou-se como responsável pelas mobilizações, deixando claro que nenhum estudante pode ser responsabilizado individualmente. A universidade irá responder a esta questão na reunião de 4ªf.

2) O 2º condicionante era a volta do fornecimento de água e energia elétrica no prédio da reitoria. Na reunião, ficou claro que tal decisão não depende da Justiça, mas exclusivamente da reitoria. A universidade irá responder a esta questão na reunião de 4ªf.

3) O 3º condicionante era o não cancelamento do semestre letivo na USP, havendo reposição de aulas assim que a greve terminar. Neste ponto, houve uma conquista importante: não haverá cancelamento de semestre em nenhuma hipótese. Ficou acordado que as aulas serão repostas assim que se encerrar a greve, de maneira a ser discutida localmente nas faculdades por estudantes, professores e funcionários.

Em relação aos eixos da greve estudantil, inicou-se a discussão a respeito da democracia e da estrutura de poder, além da discussão sobre os blocos K e L. A negociação destes temas será aprofundada na 4ªf, bem como será posta em discussão os demais temas que não chegaram a ser debatidos. Por fim, os estudantes exigiram que a próxima reunião de negociação aconteça na Cidade Universitária, e que não haja nenhum tipo de ingerência ou presença da Polícia Militar nesses espaços, como, de maneira absurda, houve hoje, com PMs anotando os nomes e RGs dos representantes estudantis.

Demonstrou-se, hoje, um grande espaço para conquistas dos estudantes. Nosso luta por democracia está legitimada na unviersidade e na sociedade e pode vencer. Não vamos aceitar uma negociação de fachada: queremos compromissos reais e o atendimento de nossas pautas já! E, principalmente, agora temos a garantia clara: o semestre letivo não será cancelado em nenhuma hipótese. Podemos seguir firmes em nossa mobilização até as conquistas.

Participe do calendário do movimento nos próximos dias. Esteja atento ao 2º informe de negociação, após a reunião de 4ªf. E esteja na assembleia geral de 5ªf, às 18h, espaço em que os rumos de nosso moviment serão discutidos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *