Contra os reitoráveis e em defesa do NCN – sobre manifestação de hoje na Tenda Cultural

27 de outubro de 2013, 23:58

Compartilhe:

Está agendada para hoje manifestação em frente à Tenda Cultural
da USP. Tal proposta foi aprovada, de maneira indicativa, na última assembleia geral.

Na tenda, estará acontecendo o seminário
“Emancipações”, evento que terá programação sobre “exclusão e
inclusão no Brasil e nos Estados Unidos”. O evento contará com a presença
de intelectuais como Eric Foner, Luiz Felipe de Alencastro, Alberto da Costa e
Silva, Didier Fassin, Deborah Willis, Sander Gilman e Kabenguele
Munanga. Alguns deles, como o professor Kabenguele, engajaram-se
recentemente no debate de cotas raciais e tornaram-se conhecidos pela oposição
ao PIMESP, falso programa de inclusão social, derrotado pelos movimentos negro
e estudantil no primeiro semestre.

Nos últimos dias, muitos estudantes de graduação e pós-graduação
em antropologia alertaram o DCE sobre a importância de que tal evento não seja
inviabilizado, já que muitos dos que estarão presentes na atividade não são inimigos
do movimento estudantil. Inclusive, muitos colegas nossos estarão presentes.
Além disso, de maneira geral, o próprio conteúdo dos debates é importante para
o ambiente universitário, pois colocará em debate a inclusão e a exclusão no nosso país, tema
que dialoga de maneira direta com a nossa defesa de democracia na USP.

Desta forma, também não consideramos que uma ação de inviabilização do evento
contribua para o diálogo com o conjunto da universidade, promovendo a
necessária ampliação de nossas pautas e legitimidade de nossa luta.

Ao mesmo tempo, consideramos que a inauguração da Tenda Cultural
não acontece em um momento qualquer da universidade, e isso não pode ser
ignorado. No evento, estarão presentes também figuras do
“alto-escalão” da USP, incluindo alguns dos “reitoráveis”,
como Hélio Nogueira. Ademais, nessa semana, aconteceu uma escandalosa tentativa
de demolição do Núcleo de Consciência Negra (NCN) na USP, que segue resistindo
bravamente. Consideramos que o evento de inauguração da Tenda Cultural, bem
como os intelectuais que nela estarão presentes, debatendo inclusão e exclusão
dentro e fora do Brasil, não podem passar ao largo dessas questões.

Por isso, convidamos a que a manifestação agendada para hoje
tenha como foco duas questões: o escracho aos reitoráveis presentes, exigindo o
imediato atendimento das pautas dos estudantes e a democratização da USP; e a
defesa do espaço do NCN na USP. O nosso intuito com a atual greve e ocupação
da reitoria é criar condições para aumentarmos a democracia na USP e neste
momento é central buscarmos formas de pressionar a comissão de negociação
montada pela reitoria para conquistar nossas vitórias, colocando como
foco o diálogo com os presentes e a pressão em cima de Rodas.

Com isso, podemos realizar uma manifestação democrática, que dialogue com o conjunto da universidade e dos presentes no evento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *