A USP toda pede: negocie JÁ, Rodas!

17 de outubro de 2013, 17:56

Compartilhe:

Se Rodas não negociar, a USP vai parar!

A situação política na USP está movida. Há quase 3 semanas, estudantes fortalecem uma mobilização por mais democracia. Na terça-feira, uma manifestação foi duramente reprimida pela polícia, contabilizando 56 detidos, entre eles vários diretores do DCE, todos de maneira arbitrária.

O DCE da USP, mais uma vez, reivindica a negociação com a reitoria a respeito das pautas estudantis. Ontem, Rodas propôs uma primeira reunião com o movimento somente para o dia 25/10. Uma data absolutamente distante, que aposta no acirramento do conflito, e não em sua resolução de maneira politicamente negociada. Tal postura é inadmissível no interior do ambiente universitário, em que deve imperar o diálogo.

Ontem, o reitor da USP chegou a faltar a uma convocação da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o que pode lhe render um processo criminal, baseado na Constituição estadual. Uma nova convocação será feira pela ALESP para a quarta-feira, 23, dentro da USP.

Os estudantes querem a abertura de diálogo e negociação imediata. Por isso, a assembleia geral de ontem deliberou por uma manifestação às 6h desta sexta-feira, trancando os portões da universidade em exigência de negociação.

Nesta nota, deixamos claro que a responsabilidade é de Rodas. Nas próximas horas, caso o reitor convoque uma reunião de negociação ainda para amanhã, em qualquer horário, nosso “trancaço” será cancelado, transformando-se numa manifestação política no interior da universidade. Por isso, mais uma vez, de maneira pública, o DCE faz um apelo: é necessária a abertura imediata de negociação. Caso isso não aconteça, a universidade irá parar. E tal situação só pode ser evitada caso a reitoria retroceda em sua intransigência. Assim esperamos que aconteça.

DCE-Livre da USP – Alexandre Vannucchi Leme

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *