Calendário de Mobilizações dos estudantes da USP – São Carlos

27 de agosto de 2013, 13:05

Compartilhe:

Nos últimos tempos, os estudantes da USP tem se movimentado para democratizar a universidade. Essa
movimentação tem passado, sobretudo, pela questão das eleições diretas e paritárias para reitor com o fim da lista
tríplice. Em São Paulo tivemos um ato na quarta passada que marchou pela universidade exigindo tal reivindicação. A
democratização também tem se apresentado em outros âmbitos, como na Faculdade de Direito onde os estudantes
estão em greve devido à truncada grade curricular. Nós, estudantes de São Carlos, também temos nos organizado de
forma muito ativa para conseguir a democracia na USP. Essa construção passa por diversos aspectos, desde aspectos
mais gerais, como votar pra reitor, ou mesmo mais específicos, como defender nosso espaço, o CAASO, e derrubarmos
uma liminar que restringe a vida acadêmica e cultural da USP São Carlos.
Temos identificado um grande descompasso entre o que deliberam os órgãos decisórios da USP e o que é
executado na prática, e não nos faltam exemplos que ilustrem esse cenário. Em relação à liminar que proíbe eventos, a
USP defendeu apenas suas atividades, enquanto a decisão era defender todos os eventos organizados pela USP e pelos
estudantes. Mas o estopim foi uma decisão do Conselho Gestor de não fechar mais estacionamentos cuja resposta foi
vermos mais estacionamentos fechados, como o da Produção e das Estruturas. Contudo esse cenário não é recente. Em
2007 os estudantes saíram da greve com a promessa de ter café-da-manhã no Bandejão, e apesar desta promessa estar
registrada em cartório até hoje não foi cumprida. Esse contexto é extremamente antidemocrático. Uma vez que ignora
as decisões tomadas, os órgãos decisórios passam a ser apenas um espaço de encenação teatral. Perdem, portanto, sua
credibilidade frente à comunidade universitária, e colocam-se em uma situação insustentável.
Nesse sentido, a quinta-feira (22/08) foi um dia histórico para o campus, pois do raiar ao pôr do sol os
estudantes lutaram por seus direitos. A começar as 6h30 da manhã, os estudantes da Produção, junto a outros
estudantes, fecharam o estacionamento do departamento. Esse ato perdurou até as 18h e causou grande impacto. Já
das 13 às 14h, recebemos os membros do Conselho Gestor com uma farta mesa de café-da-manhã, aquele que
deveríamos ter no Bandejão todos os dias desde 2007. Mais tarde, as 18h30, a GAPeria, que teve seus ensaios
proibidos pelo prefeito do campus por causa da liminar, realizou seu primeiro ensaio após a ameaça do prefeito,
utilizando máscaras do Alexandre Vannucchi Leme, estudante de Geologia da USP torturado e assassinado na Ditadura
Militar por atuar ativamente pelo Movimento Estudantil, pela democratização do país. E para terminar o dia, a
Ambiental também enfrentou a juíza e os dirigentes da USP. Mostrou que uma liminar, inconstitucional como esta, não
é capaz de barrar a vontade dos estudantes de ter seu espaço de integração dentro da Universidade. Com isso, as lutas
do dia terminaram com uma deliciosa Pizzada, com tempero especial de protesto.
Fazendo um balanço positivo, embora ainda sem vitórias concretas, da quinta-feira, na sexta-feira os
estudantes da Produção voltaram a fechar o estacionamento, causando grande impacto. E ainda no mesmo dia fizemos
a reunião do CAASO no local do ato, para que todos pudessem participar. A avaliação da quinta e da sexta-feira é muito
positiva, mas é preciso ter um horizonte e continuar nossa movimentação. Assim, convocamos a todos para construir
esse calendário, pois temos a certeza que só de forma conjunta obteremos nossas vitórias

Calendário de mobilizações – USP São Carlos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *