Rodas convoca Conselho Universitário para aprovar às pressas falso programa de inclusão

30 de junho de 2013, 01:08

Compartilhe:

Desde o final de 2012 a sociedade foi surpreendida com um suposto programa de inclusão social para a Universidade de São Paulo, denominado PIMESP (Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público). Ao ser colocado para discussão nas congregações ocorreu uma grande resistência por parte do movimento estudantil e dos movimentos sociais, pois a “inclusão com mérito” tinha o chamado College, que consistia em deixar estudantes negros e pobres cursando por dois anos um curso prévio antes de entrar de fato na universidade, mais segregando do que incluindo de fato, o que culminou, depois de muita luta, em uma grande vitória: o recuo da reitoria que foi obrigada a arquivar o projeto.

Entretanto, a cerca de um mês a reitoria apresentou um segundo PIMESP. O novo programa não prevê o college, mas insiste na política de bônus já usada pelo INCLUSP, que já foi que provada que é absolutamente não efetiva, além de estar na contra mão do histórico acúmulo que os movimentos sociais tem que são as cotas sociais e raciais. Apelidado de “Inclusp-2”, o programa não foi discutido nas congregações, muito menos com o conjunto dos universitários, funcionários e docentes, e mesmo assim foi marcado para a próxima terça (02/07) uma sessão do Conselho Universitário que irá deliberar sobre esse engodo.

O reitor João Grandino Rodas está querendo terminar seu truculento mandato com chave de ouro, aprovando a toque de caixa – e nas férias! – esse falso programa de inclusão. Chega de autoritarismo, precisamos de democracia nas decisões que dizem respeito aos rumos da USP! Para responder vamos realizar um ato em frente ao CO, contra o Rodas e seu programa de exclusão a partir do meio dia! Convidamos todos os CA’s e movimentos sociais e estudantes a comparecer e convocar esse ato! O DCE entende que a universidade que queremos além de precisar ser mais democrática – inclusive na escolha para reitor, eleito indiretamente – precisa ter programas de inclusão que contemplem real inclusão social e racial, garantindo seu acesso a um bem publico e reparação histórica.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *