Nota sobre a posição do DCE-Livre da USP no movimento estudantil nacional

25 de maio de 2013, 07:47

Compartilhe:

Nos últimos meses, por meio de seu site e redes sociais, o DCE da USP tem buscado sensibilizar o maior número possível de estudantes sobre a importância do movimento estudantil nacional. Cada vez mais, por todo país, os estudantes de universidades públicas e privadas enfrentam em seu cotidiano problemas semelhantes, que podem e devem ser respondidos por meio da mobilização e da luta nacional. Nesse sentido, temos realizado todo esforço político na construção do 53º Congresso da UNE (CONUNE), que acontecerá entre os dias 29 de maio e 02 de junho em Goiânia-GO.

Entretanto, ainda que esta seja a tônica da construção política do DCE, no último período, setores do movimento estudantil que divergem da construção da UNE tem criado confusão a respeito do posicionamento de nossa entidade e do movimento estudantil da USP acerca do movimento estudantil nacional. Especialmente, membros da Assembleia Nacional dos Estudantes Livre (ANEL) muitas vezes associam nome do DCE da USP à entidade nacional que constroem. Recentemente, por exemplo, chegaram a ser criados perfis no Facebook em nome do DCE divulgando conteúdos da ANEL, que acabaram por ser excluídos após deliberação de Reunião Ordinária em 10/05. Muitas vezes, em recados em sala de aula, cria-se confusão a respeito do tema.

Sem dúvida, a divergência política e o debate são muito saudáveis, como existe inclusive dentro da gestão Não Vou Me Adaptar. Entretanto, a partir do debate e da deliberação na base dos estudantes, há anos o DCE e o movimento estudantil da USP têm um posicionamento claro a respeito, reconhecendo a importância da construção e da disputa programática de esquerda na União Nacional dos Estudantes (UNE). Deve-se lembrar que, tanto no Congresso de Estudantes de 2010 como de 2012, as propostas de filiação do DCE da USP à ANEL foram derrotadas, perdendo as votações por expressiva e qualificada maioria dos estudantes delegados. Nessa situação, não é de direito de nenhum setor político desrespeitar a decisão legítima dos estudantes. Qualquer tentativa, portanto, de ligação do nome de nossa entidade a outras entidades nacionais, que não a UNE, não possui legitimidade e respaldo no conjunto dos estudantes. Mais do que isso, infelizmente destoam da longa tradição do movimento estudantil da USP, de valorizar as discussões e deliberações políticas tomadas na base do movimento.
Por isso, mais uma vez, reafirmamos a importância da construção do movimento estudantil nacional e convidamos todos os estudantes a construírem o 53º CONUNE junto ao DCE da USP, de maneira crítica, transformadora e radical.

DCE-Livre da USP, 24 de maio de 2013.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *