Nota de repúdio do DCE-Livre da USP ao IntegraPoli

05 de março de 2013, 18:45

Compartilhe:

A calourada foi um espaço importante de integração entre os estudantes, em que foram discutidas diversas questões relativas a como a Universidade deveria ser: um espaço democrático de discussão e que esteja aberto a toda população. Entretanto, temos acompanhado nos últimos dias diversos casos de opressão e humilhação nos trotes de todas os campi. Além do caso do “miss bixete” de São Carlos (http://www.dceusp.org.br/2013/03/nota-de-repudio-ao-miss-bixete-somos-mulheres-nao-objetos/) mais um caso gravíssimo ocorreu na Escola Politécnica da USP (Poli).

Existe uma “tradicional competição” nos cursos da Poli, o IntegraPoli, que consiste em uma lista de provas a serem cumpridas por veteranos e calouros. A maneira como essas provas são apresentadas fazem com que elas pareçam apenas “brincadeiras”. No entanto, muitas delas são claramente atos de violência, humilhação, assédio e abuso, principalmente à mulheres.

A “brincadeira” tem provas como “construir uma metralhadora de elásticos a ser testada em uma bixete de biquíni ao vivo” ou gravar um vídeo com um “cumshot surprise” (vídeos em que um aluno ejacula em uma mulher sem o consentimento dela), entre outras atividades que incentivam a opressão.

Lutamos pela democratização da Universidade, e por isso repudiamos qualquer atitude de violência e machismo, dentro e fora dela. O DCE-Livre da USP considera importante as atividades e espaços de integração entre veteranos e calouros, mas não quando servem de pretexto para naturalizar ações de desrespeito, violência, machismo e homofobia. Repudiamos a comissão organizadora do IntegraPoli, responsável pela criação de provas que legitimam os atos de opressão que essa competição busca incentivar. A Universidade deve ser o espaço de lutarmos contra todas as violências e opressões da sociedade!

Às vésperas do 8 de março, esses acontecimentos na Universidade reforçam a necessidade da luta cotidiana das mulheres, de rompermos o silêncio e a naturalização.

O DCE-Livre da USP exige respeito e convoca tod@s para o ato de sexta-feira, às 13h na praça da Sé! A luta continua!

Contra o trote machista! Basta de violência às mulheres!

Por uma Universidade democrática, sem violência nem opressão!

Contra toda forma de opressão!

São Paulo, 05 de março de 2013

DCE-Livre da USP Alexandre Vannucchi Leme

 

One Response to Nota de repúdio do DCE-Livre da USP ao IntegraPoli

  1. […] é estupro. Se “só” beijou à força, não é estupro. Se “só” fez um cumshot surprise, também não é estupro. Então, discernindo bem que “uma coisa é uma coisa” e […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *