Oficinas da Calourada Unificada 2013

23 de fevereiro de 2013, 22:36

Compartilhe:

Na próxima quarta-feira, dia 27 de fevereiro, acontecerá a Calourada Unificada 2013, organizada pelo DCE-Livre da USP em conjunto com CAs. Dentro da programação (veja o evento no facebook), foi aberto um espaço para estudantes, entidades ou organizações montarem suas próprias oficinas, às 17h30, nas salas do prédio da Letras-USP.

Foram inscritas as oficinas abaixo (em ordem alfabética):

A criminalização da pobreza e dos movimentos sociais no Brasil
Sala 160

Descrição: Com a proximidade da realização dos megaeventos no Brasil, a Copa do Mundo e as Olimpíadas, debater o recrudescimento do Estado na implementação de uma política de higienização e de criminalização dos movimentos sociais e da pobreza. Será convidado algum facilitador do movimento Terra Livre.

A São Paulo que queremos e o aumento das passagens

Sala 111

Com a participação do deputado estadual Carlos Giannazi, que foi candidato a prefeito pelo PSOL no ano passado. Durante o governo do Kassab, a passagem aumentou e indignou muitas pessoas, e esse ano, apesar da troca de prefeito, o aumento já está com data marcada! O prefeito Fernando Haddad já disse que em maio a tarifa subirá para R$3,30, aumento mais uma vez maior que a inflação. Isso faz agente pensar que tipo de cidade nós queremos, até onde o direito de ir e vir está cerceado e permitido a um custo altíssimo! Queremos debater quais os rumos de São Paulo que estão de acordo com os nossos anseios e necessidades, e o que podemos fazer para lutar por eles!

A USP e a Ditadura – porque o passado ainda está presente
Sala 162

Descrição: Roda de conversa sobre a USP no tempo da Ditadura e hoje, em lembrança aos 40 anos de assassinato do estudante Alexandre Vannucchi Leme, para conhecer a história e entender os resquícios que permanecem ainda hoje. Com a participação de pessoas que foram estudantes e professores da USP durante a Ditadura.

Cotas raciais, legalização das drogas, direito à cidade e liberdade de expressão: Porque luta a juventude em 2013!
Sala 163

Descrição: A atividade buscará problematizar os principais temas que tangem a realidade da juventude em nossa sociedade, as razões que a faz sair às ruas por seus direitos. Seja pelo direito à universidade pública e gratuita para aqueles que mais necessitam, seja pelo direito de sua liberdade de se expressar. Hoje os jovens brasileiros, sobretudo os mais pobres, passam por um processo de cerceamento de liberdades, que não vem isolado, mas acompanhado do aumento de violência nas periferias a partir da justificativa do combate ao tráfico, da criminalização daqueles que procuram transformar a situação, tanto entre os movimento por direitos básicos como moradia e saúde, como no movimento estudantil, como é o caso dos 72 estudantes processados pelo ministério público. Na universidade, cresce o questionamento sobre sua elitização e distanciamento da população e a necessidade de democratizar seu acesso e debater as cotas. A juventude e os movimentos sociais vem demonstrando em todo o mundo que é possivel resistir e lutar contra as injustiças. Para construir um futuro do tamanho dos nossos sonhos, queremos convidar os calouros a ingressar no movimento estudantil e somar essa luta conosco em 2013. Entre os debatedores contaremos com Latuff, Assentamento Milton Santos, Movimento Luta Popular, Coletivo DAR (Desentorpecendo A Razão) e Clara Saraiva, da ANEL.

Núcleo de Direito a Cidade – Regularização Fundiária e Educação Popular em Paraisópolis

Sala 161

Descrição: Em razão de realidades e vivências próprias, cada pessoa compreende e apreende a cidade de um modo particular. Nessa oficina buscaremos não só apresentar o Núcleo, como também dialogar – através de dinâmicas – as diversas visões e diversas cidades que existem em nosso cotidiano e que transformamos todos os dias. O Núcleo de Direito à Cidade é um grupo de extensão ligado à Faculdade de Direito da USP. Paraisópolis é nosso objeto de estudo, pesquisa e, sobretudo onde ocorre nossa formação política junto à comunidade aliada à extensão universitária e baseada na interdisciplinaridade.

Oficina da Frente LGBT da USP
Sala 164

Descrição: Será o primeiro contato dos Calouros com a temática LGBT. Chamaremos algum facilitador (Laerte ou João Nery, por exemplo). E será uma coisa leve, lúdica, uma espécie de conversa incial sobre gênero, orientação sexual, homofobia, movimento LGBT.

O DCE-Livre da USP – gestão Não vou me adaptar! irá organizar uma oficina com a temática das opressões na sala 109.

A realização das oficinas é de inteira responsabilidade dos seus organizadores e organizadoras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *