SPTrans responde questionamento do DCE sobre as linhas de ônibus na Cidade Universitária

11 de janeiro de 2013, 21:28

Compartilhe:

No fim do ano passado, @s estudantes, funcionári@s e professoras/res da USP que sempre se utilizaram do transporte público para chegar ao campus Butantã se depararam com um a infeliz surpresa. Algumas das linhas mais importantes de ônibus que passavam pela Cidade Universitária deixaram de circular no campus. Em dezembro, o DCE protocolou junto à reitoria um ofício pedindo explicações sobre a restrição e uma reunião imediata com a COCESP e a reitoria? Passados mais de uma mês, ainda não obtivemos nenhuma manifestação da reitoria ou da COCESP.

Conforme deliberado em Reunião Ordinária da entidade, enquanto aguardávamos o retorno por parte da reitoria sobre o caso buscamos explicações também com a SPTrans. Enviamos um ofício pedindo esclarecimento oficial do órgão sobre a restrição da circulação das linhas.

Após um mês de espera sem nenhuma resposta, recebemos hoje um retorno da São Paulo Transportes S.A. em carta que dizendo que a mudança das linhas tem o intuito de reduzir as “sobreposições e quantidade de linhas, com o intuito de tornar o sistema de transporte mais eficiente”. No entanto, como temos sentido na pele desde o ano passado, a “eficiência” que a companhia de transportes diz visar resulta em uma piora do serviço para @s estudantes do campus Butantã que passam a demorar cada vez mais para chegar à universidade e muit@s passam a despender mais dinheiro para que possam chegar às suas aulas.

Decisões como essa são tomadas com frequência na cidade de São Paulo e na USP desta maneira: sem discussão, consulta ou participação. Sem democracia! Exigimos que um diálogo seja aberto por parte da prefeitura e da SPTrans e que a demanda das linhas reduzidas seja analisada de fato e discutida com a comunidade.

Quanto à reitoria da Universidade, reforçamos mais uma vez nossa exigência de explicações públicas sobre o fim da circulação das linhas no campus e o retorno imediato dessas para que o acesso à Cidade Universitária volte ao normal. Uma Universidade Pública deve ser acessível, livre, participativa e democrática!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *