Rodas quer acabar com a circulação de ônibus na Cidade Universitária

02 de dezembro de 2012, 21:13

Compartilhe:

A grande maioria dos estudantes da USP, que depende do transporte público para chegar à universidade, tem notado nos últimos dias uma mudança significativa na circulação dos ônibus dentro do campus Butantã. Várias linhas simplesmente não estão mais passando na universidade, como a linha 107T (Tucuruvi) e a 177P (Metrô Santana). Questionando os cobradores e motoristas sobre essa mudança, muitos estudantes têm ouvido como resposta que essa se trata de uma decisão da Reitoria da USP, e não da SPTRANS. Além disso, que a perspectiva é de que, nos próximos meses, novas linhas sejam extintas dentro da universidade, até que circulem na USP apenas os “ônibus circulares”.

Um verdadeiro absurdo, que mexe com a vida de todos que estudam e trabalham dentro e fora da USP, e que está sendo decidido sem absolutamente nenhum debate com a comunidade universitária!

Por trás disso, evidencia-se, mais uma vez, o caráter da reitoria de Rodas que, desde o início, tenta fechar os muros da Cidade Universitária para a população de São Paulo. Um exemplo dessa disposição foram os próprios novos circulares que, embora estendam o transporte dos estudantes da USP até o metrô, não são gratuitos para aqueles que são de fora da universidade. O uso dos bandejões, ao longo do ano, também se restringiu, com a instalação de catracas e câmeras. No último período, também, diante dos problemas com segurança pública dentro da Cidade Universitária, Rodas tem restringido o acesso de carros e pedestres nas portarias da USP, ignorando que essas medidas, entretanto, ficam longe de resolver o próprio problema de segurança no campus.

Agora, a restrição da circulação das linhas de ônibus é mais uma prova de que o objetivo de Rodas é construir uma universidade elitista. A grande maioria da população de São Paulo financia a USP e, como um espaço público, tem o direito de frequentá-la — mas a reitoria da universidade desrespeita sistematicamente isso. Não é possível tolerar mais esse desmando da reitoria autoritária de Rodas! Tirar de circulação as linhas que não são restritas à USP prejudica estudantes, funcionários, professores e toda população de São Paulo.

A gestão “Não vou me adaptar”, do DCE-Livre, exige que a reitoria da USP se pronuncie oficialmente sobre esses fatos e se coloca absolutamente contra a extinção de quaisquer linhas de ônibus dentro da universidade.  É preciso defender uma USP verdadeiramente pública, democrática e de todas e todos cidadãos de São Paulo.

 

 Não deixe de assinar e divulgar o abaixo-assinado!

Dce Livre da USP convida todas as entidades e toda a comunidade universitária a se somar a essa iniciativa de abaixo-assinado para exigirmos da reitoria explicações e pedirmos uma reunião com a COCESP em articulação com os Centros Acadêmicos. Não deixem de assinar e divulgar: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N32953

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *