Diga SIM! Fique por dentro do plebiscito por democracia na USP!

22 de outubro de 2012, 12:36

Compartilhe:

Entre 22 e 26 de outubro será realizado o Plebiscito pela democratização da USP. O plebiscito é uma das principais iniciativas do XI congresso e será construído pelo DCE, CAs e todos interessados! Ele abordará três temas: as mudanças no estatuto da USP que Rodas pretende fazer neste semestre; a maneira como os diretores de unidade e reitores da USP são eleitos; e o estatuto da universidade. Entenda nesse texto por que o DCE acredita que todos devemos dizem SIM! à democracia nesse plebiscito!

Você é contrário ao processo de mudança de estatuto promovido por Rodas sem participação da comunidade universitária?
Esta é a primeira das três perguntas do plebiscito. No mês de junho, Rodas convocou para o 2º semestre um processo de reforma do estatuto da USP. A proposta do reitor é realizar esse processo por dentro do próprio CO, sem nenhum debate com a comunidade universitária. Mais do que isso, é preocupante o conteúdo das mudanças que Rodas pretende fazer. Em relação às eleições para reitor, por exemplo, há o risco de que a USP adote o chamado “Comitê de Busca para a Escolha do Reitor”, seguindo modelo adotado em universidades dos EUA. Com o Comitê de Busca, nem mesmo os colégios eleitorais que existem atualmente (e que já são totalmente restritos) teriam de fato poder de decisão. Na prática, o reitor passaria a ser escolhido por um grupo de 16 pessoas que comporiam o comitê, dentre os quais somente 2 cadeiras seriam de estudantes e 1 de funcionários. Outro ponto destacado para discussão é o artigo do estatuto que fala sobre a duração do cargo para reitor, o que alimenta a suspeita de que Rodas possa querer viabilizar sua própria reeleição. Um verdadeiro absurdo! Responda SIM! à primeira pergunta do plebiscito e manifeste sua indignação com esse processo antidemocrático!

Você é favorável às diretas para diretores e para reitor com participação paritária das três categorias?
Esta é segunda pergunta do plebiscito. A maneira como o reitor e diretores de unidade são eleitos na USP é totalmente antidemocrática! Em ambos os casos, menos de 5% do total de professores, funcionários e estudantes pode votar. Além disso, o processo se encerra com uma lista tríplice, a partir da qual o reitor nomeia os diretores de unidade e o governador do estado nomeia o reitor! Um verdadeiro absurdo! No ano que vem, acontecem novas eleições para reitoria e o papel do movimento estudantil é exigir a realização de eleições diretas e paritárias na USP. Se acabamos de votar para prefeito, por que não podemos votar para reitor? Responda SIM! à segunda pergunta do plebiscito.

Você é favorável a um processo estatuinte soberano e paritário entre as três categorias (estudantes, professores e funcionários)?
Esta é a última pergunta do plebiscito. Para democratizar radicalmente a USP, é necessário que o estatuto seja alterado de maneira diferente de como Rodas quer fazer. É necessário um processo estatuinte paritário, construído por professores, funcionários e estudantes a partir de um amplo processo de debate e reflexão sobre os rumos que a universidade deve tomar. Responda SIM! à terceira pergunta do plebiscito e vote pela democracia na USP!

De 22 a 26 de outubro – Plebiscito pela democratização da USP! Participe!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *