XI Congresso reúne centenas de estudantes na luta por democracia na USP!

31 de agosto de 2012, 11:51

Compartilhe:

Em 2012, o movimento estudantil identificou como prioritária a luta por democracia na USP. Após inúmeras demonstrações de truculência por parte da reitoria e a forte mobilização no ano passado, fica claro que não podemos permitir que Rodas faça o que bem entender com a universidade.

Para isso, foi construído o XI congresso de estudantes. E entre os dias 23 e 26 de agosto, centenas de estudantes ajudaram a construir esse espaço. Composto por mesas de debate, grupos de discussão e plenárias, o Congresso foi um espaço de troca de experiências entre diferentes realidades e muita discussão política. Sobretudo, um espaço que vai armar o movimento estudantil para as lutas do próximo período.

Um fórum amplo para democratizar a universidade!

O XI Congresso foi marcado pela diversidade de representações. Mais de 300 delegados de campi como Pirassununga, São Carlos, Ribeirão Preto e Lorena contribuíram para fazer desse o mais representativo fórum do movimento estudantil. A participação de estudantes das mais diversas realidades – como FEA, POLI, Exatas, Biológicas, EACH, Saúde Pública e muitos outros – foi fruto de um longo processo de construção política, iniciado ainda no semestre passado com os debates pré-congressuais organizados pelo DCE e pelos Centros Acadêmicos. Uma nova geração de ativistas e militantes comprometeu-se com a construção do movimento estudantil e foi essa representatividade que permitiu ao congresso ter deliberações políticas importantes que vão armar o movimento para democratizar a USP no próximo período!

Queremos votar para reitor! Queremos uma estatuinte e cotas na universidade!

Entre as várias discussões do congresso, esteve no centro do debate a democratização da estrutura de poder e do acesso à universidade. Nesse sentido, foi deliberada a construção de uma candidatura entre professores, funcionários e estudantes para reitor em 2013, ano em que acaba o mandato de Rodas e novas eleições devem acontecer. O papel do movimento estudantil será reivindicar a eleição direta para reitor! Ao mesmo tempo, o congresso fortaleceu a luta por um novo estatuto para a USP, construído de maneira democrática e paritária entre os três setores, bem como destacou a luta por cotas e pela democratização do acesso à universidade como central no próximo período. Para isso, foi construído no congresso um calendário unificado do movimento estudantil, para que os estudantes possam somar forças no próximo período pela democratização da universidade.

Em setembro, acontecerão iniciativas contra a truculência e o autoritarismo de Rodas, expressos na política de perseguição ao movimento estudantil e sindical. Em outubro, o DCE deve realizar, em conjunto com os centros acadêmicos, um plebiscito em toda USP a respeito das diretas para reitor e da estatuinte na universidade. E o ano de 2013, a partir já da calourada unificada, deve se iniciar com uma grande mobilização em torno da democracia na USP.

Mais do que um ponto de chegada, o congresso será nosso ponto de partida. Fique ligado! Em breve, o DCE publicará o caderno de resoluções do XI congresso de estudantes da USP!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *