Caos no bandejão central da USP: até quando?!

05 de junho de 2012, 14:20

Compartilhe:

Filas caóticas e horas de espera para poder simplesmente almoçar ou jantar. Há tempos os restaurantes universitários da USP (“bandejão”) estão superlotados e com dificuldade para atender à comunidade universitária. Mas a realidade, que já estava difícil, vai ficar ainda pior. Nesta segunda-feira, 04 de junho de 2012, @s estudantes que se dirigiram ao Bandejão Central do campus Butantã tiveram uma surpresa: um dos refeitórios foi simplesmente fechado para reforma, que deve se prolongar até às férias de julho. Assim, por mais de um mês, os quase 5000 almoços e 2000 jantares do Bandejão Central terão de ser servidos em somente um refeitório!

O bandejão está mudando para melhor?

Desde o início desse ano, temos visto várias mudanças se passarem principalmente no Bandejão Central do campus Butantã. Como parte do cotidiano de milhares de estudantes, muitas vezes sequer paramos para pensar se as mudanças estão vindo para melhor ou pior. A reforma das instalações do bandejão, trocando cadeiras, piso e paredes, é evidentemente positiva para manter o ambiente bem conservado. Mas será somente isso o que vem mudando? Será isto suficiente?

Você, estudante, acredita que as filas estão maiores ou menores para as refeições? E elas têm andado mais depressa ou mais devagar? A qualidade das refeições tem melhorado ou piorado? É positiva ou negativa a instalação de catracas que impedem o livre acesso aos refeitórios?

Por mais que tais reformas tenham tornado o bandejão mais bonito e agradável, não consideramos nem de longe isso como o essencial hoje. As longas filas, o caos e o aperto nos refeitório demonstram que faltam restaurantes no campus Butantã, além disso há também uma demanda reprimida pelas filas e pelo preço do bandejão. Políticas de permanência como restaurantes universitários não são simples “ajudas aos estudantes”, mas condições necessárias para democratizar a universidade, sendo possível qualquer um cursá-la independente das suas condições financeiras. É sabido que estudantes entram na USP sem condições até mesmo de pagar os R$ 4,40 diários (mais de R$ 100 por mês) do café-da-manhã, almoço e jantar no campus Butantã.

Modernização? Quem decide pelas reformas na USP?

A reitoria de Rodas vem promovendo uma série de reformas sob o pretexto de “modernizar” a universidade. Sem consultar a comunidade universitária sobre as prioridades de investimento, o reitor anunciou, ainda no ano passado, mais de 240 milhões de reais (do dinheiro público) em reformas somente no Butantã!

Por trás de uma suposta “modernização”, o que de fato vemos é o reitor mandando e desmandando na USP da maneira como ele bem entende, sem consultar ninguém. A reforma em um dos refeitórios do Bandejão Central, por exemplo, poderia ser realizada no mês de julho, ao invés de junho. Ou, ainda que seja realizada agora, medidas alternativas poderiam ser implementadas para evitar o caos, como a extensão dos horários de abertura do Bandejão. Mas a reitoria não está nem aí para os estudantes! O que se tem visto no Bandejão Central são filas gigantescas e demoradas. E, próximo ao horário de fechamento do bandejão, o caos ainda piora! Funcionários da COSEAS tentam, em vão, organizar os estudantes, que ficam todos aglomerados para dentro da grade do Bandejão. Até quando?!

É preciso democratizar a USP!

Não é possível que, numa universidade como a USP, os estudantes sejam simplesmente tratados como objetos passivos do cotidiano universitário, tropeçando a todo tempo em reformas e na “modernização” da universidade. Por trás desses acontecimentos, está a profunda falta de democracia na qual está mergulhada a USP. Rodas acredita que pode fazer o que quiser com a universidade e vem tornando cada vez mais elitizada, menos pública.

Para reverter essa situação, o DCE-Livre da USP e dezenas de Centros Acadêmicos estão construindo o XI Congresso: o fórum por democracia na USP! O Congresso, bem como diversas outras iniciativas, fazem parte de uma campanha pela democratização da USP. Precisamos, de uma vez por todas, democratizar a estrutura de poder e a tomada de decisões na USP. Fique ligado nessa mobilização! Procure seu Centro Acadêmico ou o DCE e organize debates pré-congressuais em seu curso. E não deixe de participar do segundo debate promovido pelo DCE, com o tema “Estatuinte na USP já!”, no dia 14/06, às 18h no Auditório da His/Geo. A presença do professor Vladimir Safatle está confirmada!

DCE-Livre da USP “Alexandre Vanucchi Leme”

Gestão “Não Vou Me Adaptar”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *