Nota de Esclarecimento – Chá da tarde com o Reitor

17 de maio de 2012, 01:53

Compartilhe:

A chapa que ficou em segundo lugar nas eleições para o DCE da USP, a “Reação”, se reuniu com Rodas para um chá da tarde – é o que revelam fotos recentemente divulgadas na internet. Para explicar o ocorrido, o mesmo grupo lançou em seu blog um texto intitulado “Reação busca reivindicações estudantis junto a Reitoria”. O DCE Livre da USP é a entidade responsável organizar os estudantes na defesa de suas demandas. Por essa razão, nos posicionamos com relação ao ocorrido nesta nota de esclarecimento.

Em tom grandiloquente, o texto afirma que o grupo em questão, ao reunir-se com Rodas, iniciava uma era de diálogo entre a reitoria e os estudantes (supostamente representados por eles, “Reação”). Reivindicações deste mesmo grupo teriam sido feitas ao reitor em nome dos estudantes. Entretanto, as entidades responsáveis por representa-los perante a reitoria são o DCE, os centros acadêmicos e os representantes discentes. Estas entidades devem defender as reivindicações e adotar os métodos de ação política que tenham sido discutidos nos fóruns do movimento estudantil e que sejam coerentes com o programa das chapas vencedoras das eleições de entidade. A Reação foi derrotada nas eleições para o DCE. Ainda que alguns de seus membros sejam representantes discentes, em nenhum fórum foi discutida a realização de um jantar com a reitoria para apresentação de quaisquer demandas. Portanto, este grupo não está autorizado a negociar com a reitoria em nome dos estudantes. Deve menos ainda apresentar reivindicações que não tenham sido discutidas ou que sejam contrárias às posições defendidas nos fóruns.

Consideramos que qualquer grupo político possui autonomia para se reunir com os setores com os quais tenha mais afinidade. Entretanto, quando se trata da ação política dos estudantes, esta deve ser decidida democraticamente. Nós, da “Não Vou Me Adaptar” somos contra o método de “cúpula” que muitas vezes é adotado pelos políticos tradicionais, em que, à portas fechadas, um pequeno grupo negocia e decide pretensamente em nome de uma maioria. A “Reação” fala em um suposto “violencismo” do movimento estudantil, mas o que defendemos, ao contrário, é o debate e a ação coletiva para a defesa de uma universidade justa e democrática.

O conjunto dos estudantes da USP vêm manifestando sua indignação em relação à truculência de Rodas e exigindo democracia na USP. Para tanto, a democracia deve prevalecer entre os próprios estudantes. Por isso esperamos que mais nenhum grupo se sinta no direito de passar por cima da vontade coletiva para negociar com o reitor o que quer que seja.

DCE-Livre da USP “Alexandre Vanucchi Leme”

Gestão “Não Vou Me Adaptar”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *