Boletim do DCE-Livre da USP – abril/2012

16 de abril de 2012, 11:41

Compartilhe:

Cara e caro estudante, este é o primeiro Boletim do DCE-Livre da USP em 2012. Nele falamos um pouco sobre as eleições para o DCE, que aconteceram no mês de março, e sobre as novas notícias da gestão de Rodas na USP — como as propostas de mudanças na pós-graduação e a nomeação de um oficial aposentado da PM para o comando da Superintendência de Segurança da USP. Leia e fique ligado nas atividades que estamos preparando!

Com quórum histórico, eleições para o DCE consolidam vitória do movimento estudantil!

Nos dias 27, 28 e 29 de março, aconteceram as eleições para o DCE-Livre da USP 2012. Mais de 13.000 estudantes, de todos os campi e unidades da USP, ajudaram a construir um processo eleitoral histórico, que fortaleceu o movimento estudantil e reafirmou nossa disposição de luta pela democratização da universidade. A chapa Não vou me adaptar! saiu vencedora com 53% dos votos.

As eleições deste ano não aconteceram numa conjuntura qualquer. Após um ano de mobilização estudantil, com grandes assembleias e manifestações, muita gente estava de olho em qual seria o rumo de nossa entidade. Estava em jogo a possibilidade de uma resposta por parte dos estudantes à política da reitoria da USP, que aprofunda um projeto de universidade elitista e privatizante, fazendo uso da repressão e da perseguição política principalmente.

A força de uma chapa de unidade foi essencial para a concretização dessa vitória e fomentou o quórum histórico dessas eleições. Nas urnas, todos demonstraram o anseio dos estudantes pela democratização da universidade e pela luta contra a atual gestão da reitoria, representada pela figura de João Grandino Rodas. Agradecemos a todos os estudantes que participaram desse processo e convidamos a todos a construir essa gestão conosco!

Esse deve ser somente nosso primeiro passo! Através de uma entidade fortalecida e independente, nossa tarefa é ampliar o movimento estudantil para cada vez mais estudantes, nos vários campi e curso da USP, e construir uma grande mobilização por uma universidade de fato pública e democrática!

Resultado oficial das eleições

Quórum: 13.139

1º – Não vou me adaptar! – 6.964 (53%)
2º – Reação – 2.664 (20%)
3º – Universidade em movimento – 2.579 (19%)
4º – 27 de outubro – 503 (4%)
5º – Quem vem com tudo não cansa – 250 (2%)

Brancos/Nulos – 179 (2%)

Mais estudantes são processados. Rodas quer calar a todos!

Nas últimas semanas dezenas de estudantes estão recebendo intimações da reitoria sobre processos administrativos, se trata do mesmo tipo de ação que resultou na expulsão de seis estudantes no inicio do ano. A perseguição política, que já acontece com estudantes e funcionários desde o início do mandato de Rodas, chegou este ano até mesmo aos diretores da Adusp (Associação de Docentes da USP), que correm risco de processo por terem se manifestado publicamente contra a reitoria.

Confira a nota de repúdio do DCE-Livre da USP e demais entidades.

O xerife da USP nomeou um oficial reformado da Polícia Militar para o comando da Superintendência de Segurança da USP

Segundo entrevista cedida para uma revista de grande circulação, o desafio do novo chefe de segurança é “trazer a “paz” para a USP sem ter que disparar nenhum tiro.” O que deveria ser uma obrigação passa a ser um desafio na gestão de Rodas. Desde o ano passado, o movimento estudantil reivindica soluções reais para o problema de segurança na USP, com um plano alternativo de segurança com medidas efetivas na infraestrutura da universidade, como mais iluminação e, inclusive mudanças na guarda universitária. A solução que Rodas apresenta é a militarização dos campi da USP, com a entrada ostensiva da Polícia Militar! Assim, joga no lixo a autonomia universitária e ainda não resolve, de fato, o problema de segurança na universidade.

Proposta de reforma no regimento da pós-graduação retira gratuidade do ensino.

Seguindo mesmo perfil das “diretrizes” para a graduação que adaptam os currículos da graduação as necessidades do mercado, essa proposta tende a estimular o rebaixamento qualitativo e a mercantilização do ensino e da pesquisa na universidade. Para isso, pretende-se ligar os programas da pós diretamente aos órgãos centrais da USP e reduzir os prazos para a realização dos cursos, atribuindo a estes um caráter “profissionalizante”. E o mais grave: o artigo que garantia a gratuidade dos cursos oferecidos pela pós-graduação é simplesmente suprimido na proposta de novo regimento!

Essas e outras medidas demonstram que Rodas claramente tem um projeto político para a Universidade de São Paulo, distante dos anseios de professores, funcionários e estudantes. Em 2012, nosso papel, enquanto estudante, será justamente o de enfrentar essa política. Precisamos de democracia na USP!

Aziz Ab’Saber presente! Ato público pela democratização da USP

No mês de março, a USP perdeu uma das maiores figuras de sua história. O geólogo e professor Aziz Ab’Saber foi, ao longo de toda sua trajetória, um exemplo de luta pelo meio ambiente e por um país e uma universidade mais justos. Deixou um grande legado acadêmico e a lição de que a excelência na universidade só pode ser construída através da liberdade de pensamento e de atuação política.
A universidade de Aziz Ab’ Saber, Florestan Fernandes, Milton Santos e tantos outros intelectuais que lutaram por mantê-la pública, gratuita e como espaço do livre pensar está sendo solapada pela política antidemocrática de Rodas. Por isso, o DCE-Livre da USP, em conjunto com os Centros Acadêmicos, realizará um ato público na segunda-feira, 23/04, em homenagem a Aziz Ab’Saber e em defesa da democracia na USP. Vários intelectuais, entidades e movimentos sociais serão convidados. Acompanhe!

Segunda-feira, 23/04: Aziz Ab’Saber presente! Ato público pela democratização da USP! Às 18h no Auditório da His/Geo

Assembleia geral dos estudantes da USP

Quinta-feira, 19 de abril
18h Vão da História/Geografia

(evento no facebook)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *