Nota dos alunos presentes em Assembleias consultivas realizadas pelo CAVC

19 de novembro de 2011, 01:14

Compartilhe:

Em Assembleias Consultivas realizadas pelo Centro Acadêmico Visconde de Cairu, às 18h do dia 10 e 11h do dia 11 de
Novembro, reuniram-se ao todo em torno de 120 estudantes da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, para discutir temas centrais relacionados com os recentes acontecimentos dentro da Universidade de São Paulo.
Esta Nota contém a opinião consensual dos estudantes que participaram do evento.
Nesse sentido, repudiamos a forma irresponsável como foi realizada a desocupação da Reitoria pela Polícia Militar, ação que assumiu caráter violento e imprudente, em que bombas de gás lacrimogêneo foram lançadas na Moradia Estudantil, local habitado por estudantes e crianças.
Demonstramos também nosso repúdio aos recorrentes excessos realizados pela PM em diversos lugares do campus, e especialmente no CRUSP, conforme depoimentos relatados por alunos da FEA e que moram no local.
Entendemos que é inadmissível que a PM infrinja o âmbito privado dos alunos, sendo impraticável a invasão de apartamentos sem mandado judicial, assim como as constantes revistas, caracterizadas pelo abuso de autoridade a que são submetidos os estudantes desta Universidade.
Da mesma forma, denunciamos as ações indevidas da instituição ao entrar nos Centros Acadêmicos da ECA e da POLI, ferindo os espaços estudantis e a atuação livre desses órgãos.       Diante do que foi abordado, defendemos, sim, o aumento de segurança no campus, mas também é nítida a indignação com os abusos de poder realizados pela Polícia Militar.
Dentro desse contexto, chamamos a comunidade acadêmica a discutir o conteúdo do convênio firmado entre a PM e a USP e as formas de atuação da Polícia Militar no trato com os estudantes. Relembramos que os termos do Plano de Segurança proposto incluem, além da formalização da presença da PM no Campus, a criação de fóruns de discussão (os “Fóruns da Cidadania pela Cultura da Paz”) e o treinamento em policiamento comunitário para o efetivo atuante na Universidade, elementos os quais foram amplamente propagandeados, mas que ainda não foram cumpridos.
Levando-se em consideração a opinião dos alunos da FEA presentes nas Assembleias, percebemos a necessidade de não nos pautarmos por um debate raso que ridiculariza os estudantes em detrimento de uma abordagem que deveria ser realizada de forma mais responsável e fidedigna aos recentes acontecimentos na Universidade. Cabe-nos aqui uma crítica à atuação da cobertura da mídia, que reduziu os conflitos internos a uma questão superficial, faltando com o compromisso de um jornalismo responsável, que contribuiu para a radicalização e polarização de visões mais extremadas e antagônicas dentro do movimento estudantil.
Diante da situação atual vista na Universidade e dos conteúdos discutidos, entendemos a importância de uma maior participação dos demais estudantes da faculdade no debate, de forma a aumentar a representação de possíveis decisões que poderiam ser deliberadas em nossa unidade.
Estamos agindo no sentido de construir e estruturar um ambiente propício de discussão e participação política dos estudantes nos assuntos de suma importância que não devem, e não podem, ser ignorados por nós, alunos da FEA.

Principais redatores:

 

Bruno Miller Theodosio

Charles Rosa

Gabriela Thomazinho

Gustavo Fuga

Hector de Moura Luz

Mailiw Serafim Siqueira Silva

Marco Bonazzoli

Paulo Rodrigo Capeleti

Simon Fan

Tabiner Domingues Marques

Tiago Aguiar Franco de Oliveira

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *