Nota do DCE-Livre da USP sobre o encerramento do projeto “Pró-Universidade”

01 de novembro de 2011, 08:38

Compartilhe:

O Pró-Universidade é um projeto criado para beneficiar pessoas carentes da Zona Leste de São Paulo. Consiste em um cursinho pré-vestibular totalmente gratuito tendo como objetivo desenvolver a região da cidade aproximando seus moradores da tão sonhada universidade. Administrado por professores e alunos da Universidade de São Paulo tem como “patrocinadores” a Fundação Tide Setúbal – criada para desenvolver a região de São Miguel Paulista – e também com uma verba saída do Governo do Estado. Todo esse dinheiro era destinado a pagar os administradores do projeto, os professores, os funcionários que manteriam as salas limpas, apostilas e produtos de higiene e limpeza.

As aulas começaram dia 27 de julho em 4 escolas públicas da Zona Leste da Capital e desde então os 1200 (mil e duzentos) alunos estão tendo aulas regulares todas as semanas, receberam apostilas e estão fazendo simulado para avaliar os conhecimentos e a partir daí, reconhecer o ponto da matéria que está mais defasado e assim montar um plano de estudo para fortalecer tal ponto.
Os problemas começaram a surgir em agosto quando uma parte dos professores ficaram sem receber o pagamento e estão até hoje com apenas um mês de salário sendo que alguns já estão no projeto a cinco meses. A segunda apostila que continha a outra metade da matéria não foi comprada, os funcionários responsáveis pela limpeza não receberam nada desde o começo do projeto e em uma das escolas fizeram até paralisação na limpeza.

O motivo deste alvoroço está na Secretaria de Desenvolvimento e Tecnologia que deixando de lado apenas uma única assinatura, acarretou no caos do programa. A verba já aprovada pelo Governo do Estado simplesmente não chegou por puro descaso. A Fundação Tide Setúbal foi solidária e cobriu parte do “rombo” formado pela falta da verba estadual, assim o Pró-Universidade terá que fechar as suas portas antes do tempo para que não saia nenhuma parte prejudicada.
O sentimento de tristeza tomou o rosto dos alunos com a notícia e logo após apareceu o sentimento de abandono e revolta. Com o ENEM e os vestibulares em datas próximas, a revolta só aumentou. Surgiu no ar um comentário “Mais uma vez o pobre se deu mal!”. Tudo estava estritamente planejado e programado para dar certo e por culpa unicamente do Governo do Estado, mais especificamente da Secretaria de Desenvolvimento e Tecnologia, um projeto que atinge mais de mil pessoas carentes está com o seu fim determinado.
Por iniciativa dos próprios alunos, já foram realizados dois protestos. Um na cidade Universitária e outro na EACH. O objetivo era chamar a atenção a fim de que sejam tomadas as devidas providências para o encerramento do projeto lembrando que toda essa documentação passou pela reitoria antes de ser encaminhada para o Governo.

Leia aqui a carta de encerramento.

O DCE-Livre da USP apoia o movimento e conta com o apoio de vocês pra ajudar na divulgação desse fato. Estamos lado a lado na luta pela democratização do acesso a universidade.
Escolas que abrigam o projeto: EM Armando Cridey Righetti – Itaim Paulista; EE Engº Hugo Takahashi – São Miguel; EE Almirante Custódio José de Melo – Penha; EE Profº Valace Marques – Ermelino Matarazzo.

Site do Projeto: http://www.each.usp.br/prouniversidade/

Divulgação inicial do projeto: http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2011/06/cursinho-pre-vestibular-da-usp-leste-abre-inscricoes-para-1200-vagas.html

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *