Nota do DCE-Livre da USP: Repressão da Polícia Militar na USP

28 de outubro de 2011, 00:34

Compartilhe:

Desde 2007, quando o reitor João Grandino Rodas era diretor da Faculdade de Direito da USP (SanFran), a Polícia Militar vem sendo usada para reprimir manifestações políticas na Universidade de São Paulo. Em junho de 2009, a PM invadiu o campus Butantã para reprimir o movimento, o que não ocorreu nem na ditadura civil-militar. O convênio firmado em 2011 pela Reitoria permitiu a entrada da PM no campus, o quê não resolve o problema de segurança e faz com que as(os) estudantes ainda se sintam inseguras(os) no Butantã. Nos últimos meses, a PM vem sistematicamente abordando estudantes, como na Poli, ECA e CRUSP.

No último 27 de outubro, o movimento reagiu a uma dessas abordagens e foi duramente reprmido por cerca de trinta viaturas, com bombas de gás lacrimogêneo, dentro de um prédio didático da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

Diante disso, o movimento decidiu ocupar o prédio da Administração da FFLCH, para dizer basta à presença da PM no campus. O DCE-Livre da USP, entidade que sempre esteve na luta pelos direitos civis, estará com este movimento até que essa reivindicação seja atendida.

  • Fora PM do campus
  • Contra os processos administrativos às e aos ativistas do movimento

 

5 Responses to Nota do DCE-Livre da USP: Repressão da Polícia Militar na USP

  1. estudante disse:

    queria deixar claro aqui que o Movimento Estudantil soh atrapalhou tudo! Conheço bem de perto os estudantes que NÃO FORAM PRESOS, foram até a delegacia.

    Eles pediram MILHÕES de vezes para as centenas de pessoas que surgiam não fazerem nada! Nós todos pedimos!

    Mas essas historinha de gente revolucionaria num consegue entende q no final, quem se fodeu foram os meus amigos, que foram enquadrados pela polícia!

    Eles ñ concordam com a porra da polícia dentro do campus. Nada justifica o q esses coxinhas fizeram hj.

    Mas eles qriam resolver d uma vez, pq, sim, tavam fumando um, mas tinham qtidade de usuario, e ja tinham trocado ideia c a PM sobre isso. Soh ia ter BO e eles iam vazar…

    P culpa desses malucos, q tão certos por ñ qrer a PM no campus, mas q num sabem PENSAR, todos nós nos fudemos a noite inteira nqla porra de delegacia! sabe qm pagou pelos tijolos q esses fdp jogaram? as pessoas q supostamente eles tavam defendendo. vão todos pra puta q pariu.

    sinceramente, se é dessa forma que esse “movimento” vai lutar contra a PM e pela porra da USP, a gente tá fodido! ñ vou pisar nessa merda dessa ocupação.

    espero q o DCE pense uma forma mais inteligente de fortalecer essa luta. temos que falar c os professores!

  2. Gleizer de Queiroz Freitas disse:

    Todo meu apoio à causa. Fico muito triste com essas notícias. O Facismo anda cada vez mais próximo de nós.

  3. Verônica Maria Rodrigues disse:

    É preciso fomentar o debate sobre a descriminalização e legalizção das drogas para que os jovens deixem de ser tratados como criminosos e cenas como esta não se repitam.
    O meu apoio irrestrito contra a repressão da PM.

  4. Luis disse:

    Lei é lei, porque vcs acham que estam acima da Lei?

  5. Lol disse:

    desde quando fumar maconha no estacionamento politico virou movimento político? Sou estudante da USP e apóio a presença da PM. Quando alguém for assaltado ou morrer o DCE vai apoiar a ocupação de prédios cobrand mais segurança???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *